sobre ~ about


«As Sanjoaninas juntam a tradição, a cultura, a gastronomia. Mas mais do que tudo, a união, o convívio, o extravasar de um povo que trabalha para viver e não vive para trabalhar.»
Francisco Maduro-Dias

 

As Sanjoaninas são reconhecidas como um evento marcante a nível local, regional, nacional e internacional e tornaram-se ao longo do tempo a manifestação mais significativa das festividades do arquipélago. As Sanjoaninas complementam a beleza da paisagem natural de Angra do Heroísmo, o seu património e a hospitalidade das suas gentes, transformando a cidade num espaço de festa que mostra a sua cultura mais genuína.

O vasto programa reúne diferentes áreas como desfiles diários, com destaque para o cortejo de abertura que dá início às festividades, atividades desportivas que vão desde os torneios de futebol e voleibol a provas de automobilismo, animação infantil e exposições variadas.
A música divide-se por palcos ao longo da cidade, sendo que pelo palco principal passam grandes nomes locais, nacionais e internacionais.
O ponto alto do programa é sem dúvida a noite de marchas de São João no dia 23 de junho. É um desfile de dança, cor e música que contagia o público e que envolve cerca de 3000 participantes.
A tauromaquia marca presença com a Feira Taurina de São João que entusiasma os terceirenses e mobiliza interesses a nível ibérico e que inclui corridas de praça, as tradicionais touradas à corda e largadas de touros.
A etnografia é assinalada com um cortejo pormenorizado e animada com cantorias, fado, bailinhos de Carnaval e folclore.
Por toda a cidade é possível conhecer os sabores da gastronomia e encontrar restaurantes e barraquinhas com petiscos, montados para as festas, havendo, além da gastronomia típica da ilha Terceira, restaurantes de outras regiões.

São 11 dias em que Angra do Heroísmo será o centro da festa e onde se irão viver momentos de inesgotável animação, projetando o seu nome como uma cidade de valor universal excepcional.

 

«Tendo como pretexto a celebração do santo popular [São João], as maiores festas profanas dos Açores são uma amálgama da forma de ser terceirense. A sua religiosidade, a paixão pelos toiros, a gastronomia e o espírito de comunhão, a necessidade de estar com o seu semelhante num ambiente de festa, tendo como cenário as ruas da sua bela Angra, salão de visitas da Terceira.”
Renato Gonçalves